Cuidados com a barba em tempo de coronavírus



Quando o assunto é coronavírus toda a atenção é necessária e voltada a prevenção. O que muitos desconhecem é que a barba é “abrigo” propício para o vírus, por isso, os barbudos devem redobrar os cuidados e a higiene dos fios faciais.

Não é necessária a remoção total – a não ser em casos específicos, como os profissionais de saúde, pois os pelos dificultam a colocação perfeita da máscara - basta redobrar a atenção para o jeito que se relaciona com a barba.

Por servir de “abrigo”, deve-se evitar tocar os fios com as mãos sujas ou sem antes higienizá-las com álcool 70%. Muitos homens alisam e passam a mão nos pelos, como um gesto inconsciente. Daí fica ainda mais importante a recomendação de sempre higienizar as mãos (com sabonete e álcool gel), já que elas estão em contato constante com a boca, nariz e olhos. “Barba e bigode podem ser um meio de se contaminar caso o homem toque os pelos com as mãos não higienizadas”, diz a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Por outro lado, caso o homem esteja infectado (mesmo sem sintomas), a barba pode alojar o vírus, vindo das secreções, facilitando a transmissão, segundo a médica.

Eliminar totalmente a barba só vale como uma atitude extrema se você não consegue controlar muito bem as mãos durante este período de risco. “Não existe nenhuma recomendação dos órgãos sanitários para que homens retirem a barba como medida de segurança para reduzir o contágio. Não há necessidade de remover a barba, a não ser que você queira ter uma preocupação a menos. Porém, se você continuar com a barba, é fundamental higienizá-la muito bem todos os dias”, recomenda a dermatologista.

A limpeza pode ser feita com produtos específicos para o cuidado dos pelos faciais, como shampoos. Outro ponto importante é que os bons shampoos de barba tratam também a pele. Muitos homens dispensam a maior atenção aos pelos e esquecem da pele que existe embaixo deles. Coceira, irritação, descamação, espinhas, pelos encravados e foliculite são consequências de pele ressecada e mal higienizada sob os pelos. A barba acumula sujeira (resíduos, sebo do rosto, poeira, poluição) que contaminam a pele.

E o cabelo? Vale a mesma recomendação da barba: mantê-los sempre limpos e evitar ficar mexendo neles com as mãos não higienizadas. “Preste muita atenção para não tocar nos fios caso suas mãos não estejam devidamente limpas”, diz a doutora Paola.

No caso dos cabelos longos, uma boa ideia é prendê-los num rabo de cavalo caso haja a necessidade de sair de casa. Mas sem puxá-los com força demais. “Puxar e esticar demais os fios faz com que, a longo prazo, o cabelo fique mais ralo e com falhas na região da testa e do contorno do rosto, um problema conhecido como alopecia de tração”, explica a dermatologista.

Devemos ter em mente que as medidas mais importantes para evitar o contágio são manter distância mínima de 1 metro das outras pessoas, evitar abraços, beijos e apertos de mãos, lavar as mãos com sabonete e água ou álcool gel e, em caso de suspeita da contaminação, usar máscara e permanecer isolado.

Fonte: Homem no Espelho